Tag: Música

A maestrina Kelley Scheleski fala da carreira e de seus looks

Ao ganhar seu primeiro presente de Natal, um piano aos 4 anos, foi ganhando Kelley Scheleski a se tornar maestrina. A música sempre esteve presente em sua vida. Mesmo se mudando para Campo Mourão, no Paraná, sua paixão e sonho estão a caminho de ser um grande sucesso reconhecido.

Desta vez, a entrevista tem duas partes: a primeira sobre a carreira de Scheleski e seguda parte sobre o belo gosto por roupas.

Confira  abaixo, o bate-papo que a Garota da Cidade teve com Kelley:

 

GC: Como percebeu que a música tornaria sua profissão?

KS: Bem, aos 4 anos de idade pedi um pianinho de brinquedo como presente de Natal. Ganhei e tocava várias musiquinhas ali repetitivamente até os seis quando pedi pra fazer aulas e por já saber ler a professora me aceitou. Mas me bati profissionalmente achando que queria ser Engenheira Civil. Quando tirei zero num trabalho de Fundamentos de Hidráulica no colégio, vi que aquilo não era pra mim. Mas música profissionalmente nem imaginava. Era meu prazer e só. Até ver o Maestro Donaldo regendo os Cantores da Liberdade e pensar: é isso que eu quero. Fui atrás de aula particular de regência com ele e ele mesmo me encaminhou a fazer a Faculdade de música.

 

GC: Qual é o seu papel como regente da orquestra da igreja?

KS: Hoje especificamente não tenho uma orquestra onde sou ministra. Dirijo as equipes de louvor e temos um Coro que se prepara para o Natal e Páscoa. Os músicos são convidados. Temos projetos de ensino de cordas e metal para crianças para que futuramente venhamos a ter nossa orquestra.

 

13590403_1066879966694233_2536680912462340332_n

Ter sua própria orquestra é um dos planos futuros de Kelley.

 

GC: Como é o cotidiano da orquestra?

KS: As experiências que tive, foram num projeto de ensino de cordas a estudantes da rede pública de ensono que começavam do zero. Era emocionante ver o progresso e em 2 anos fizemos nossa primeira cantata com Coro e orquestra. Deu muito trabalho mas foi recompensador para mim e para os professores. Num modo mais profissional é fantástico mas também muito trabalhoso, pois músicos são pessoas dedicadas mas que se acostumam a estudar e executar sozinhos seus instrumentos, quando temos então a reunião de diversas personalidades numa orquestra a dificuldade não é musical e sim a de administrar egos. O mesmo acontece em bandas e coros profissionais.

 

GC: Você dá aulas coletivas ou individuais?

KS: Coletivas e individuais. Coletivas de técnica vocal, flauta doce e prática de banda. Particulares de canto, piano, teclado e regência.

 

13118868_1027588560623374_295006141787250963_n

Kelley na Igreja Batista de Campo Mourão (PR).

 

GC: Qual é o retorno, tanto profissional, quanto pessoal que você sente ao ensinar música para as pessoas?

KS: É algo que não tem preço. A música para mim é uma perfeita criação de Deus para o homem, e disponibilizá-la a todos é o que mais me atrai. Não sou nem elitista nem purista quando se trata do ensino musical Acho que ninguém deveria ser privado ao acesso da música.

 

GC: Tem algum planos ou projeto futuro?

KS: Ter uma orquestra em meu ministério novamente.

 

GC: Como consegue driblar a carreira com a família?

KS: Não consigo (risos).

 

Como já havia falado, a seguir terá a segunda parte da entrevista sobre os looks de Kelley:

 

GC: Vi que você gosta bastante de postar fotos com seus looks do dia-a-dia. Você sempre gostou em compor os looks?

KS: Bem, sempre gostei. Usava roupa emprestada do meu pai na adolescência, como coletes, camisas com saias, blazers com vestidos, também terninhos quando nem existiam os femininos (risos).

Depois veio o casamente e isso ficou em segundo plano. Após o divórcio, retornei um pouco esse desbravamento de looks. Nunca fui muito presa á moda.

 

12924416_1009442829104614_3593730226576265132_n

O que importa é se sentir bem!

 

 

GC: Qual peça do guarda-roupa que você mais gosta de vestir?

KS: Vestidos. Com eles estamos prontas e linda rapidamente.

 

12805941_990812164301014_6836198604506787491_n

Vestido é a peça que Kelley adora usar.

 

GC: Você troca as roupas com suas filhas?

KS: Troco sim.

 

GC: Tem alguma dica de moda?

KS: Sinta-se bem com aquilo que você tem.

Caminhando juntos: a história de companheirismo e sintonia de Priscila Castellar e Paulinho Dias

Em comemoração ao dia dos namorados, o blog Garota da Cidade preparou uma entrevista bastante romântica e divertida com o casal Priscila Castellar e Paulinho Dias. Apesar de serem casados há 14 anos, eles ainda se consideram como ‘eternos namorados’ (o que vale a pena é a história contada por eles, é claro).

Na época em que se conheceram, Priscila disse que se encantou por Dias, no momento que o viu.

Já apaixonados um pelo outro, o que fez com que o casal nunca mais se separasse, foi a decisão de Castellar em ligar para Paulinho e dizer que voltaria para São Paulo para ficar de vez. E isso fez com que ele fizesse a música Segunda Asa.

 

Veja mais deste bate-papo, a seguir:

 

GC: Como vocês se conheceram? E onde foi o primeiro encontro?

Priscila Castellar: Nos conhecemos em Joinville (SC), fazendo teatro musical.

 

GC: Como e onde aconteceu o primeiro beijo?

Paulinho Dias: Nosso primeiro beijo aconteceu no apto de um amigo e foi romântico e engraçado por que rolou em um bicama, com Luisa Castellar (mãe de Priscila) entre nós… (risos).

 

GC: Qual foi a maior surpresa que ele/ela já recebeu de você?

Paulinho: Quando ela me ligou de SC dizendo que voltaria pra SP e ficaria pra sempre. Depois dessa notícia, compus a música A Segunda Asa para a pedir em casamento.

Priscila: Acho que a maior surpresa, até agora, foi o pedido de casamento feito em 2003, através da música – A Segunda Asa.

 

No intervalo de uma contação de histórias para crianças.

 

GC: Qual foi a loucura que fizeram juntos?

Paulinho: Viemos juntos pra SP, sem lenço e sem documento… (risos)!

 

GC: Já pensaram no presente de Dia dos Namorados?

Priscila: Sim! Vários! Agora só tenho que escolher qual (risos). Um deles é andarmos juntos de Balão! Só dependerá do clima!

 

GC: Qual de vocês é o mais romântico?

Paulinho: Somos dois românticos, incorrigíveis!!

 

13401183_10209928598877604_718703212_n

Companheirismo é uma das palavras chave para 14 anos juntos do casal. Foto: Estúdio Unique

 

GC: Qual foi a escolha mais difícil que ele/ela já teve de tomar?

Paulinho: Foi abandonar minhas convicções e acreditar que sim, era possível viver um grande amor.

Priscila: A minha foi deixar minha casa, minha mãe e irmã, pra viver esse amor que me completa a cada dia.

 

GC: O que mais chamou atenção do Paulinho? E na Priscila?

Paulinho: O que dela me chamou mais atenção foi, além da sua beleza, o seu olhar lindamente analítico.

Priscila: Foi a beleza, a voz, o seu jeito descolado! Me apaixonei no momento em que o vi!

 

GC: Qual a melhor declaração de que ele/ela já recebeu de você?

Paulinho: Penso que a primeira de minhas melhores declarações pra ela foi a música O Doar da Inocência. Feita pra celebrar o verdadeiro amor consumado.

Priscila: Sou tão apaixonada que me declaro diariamente pra ele! Dizemos SIM um para o outro todos os dias!

 

GC: Uma palavra ou uma frase que defina a relação de vocês?

Paulinho: Um só par de asas a sonhar não vale a pena.

 

13384913_10209928583517220_315392109_n

Casal em um ensaio fotográfico. Priscila Castellar como segunda asa. Foto Estúdio Unique

 

GC: Qual é o segredo para manter uma relação de muitos anos?

Priscila/Paulinho: Amor verdadeiro, admiração, lealdade e parceria em todas as áreas da vida. São 14 anos juntos!!!

 

GC: Qual (is) é (são) o (s) plano (s) futuro (s) que vocês pretendem realizar juntos?

Paulinho: Seguir amando a Deus, acima de tudo, e sentir quais são seus reais planos pra nós! Pois se Ele está à frente, tudo seguirá sendo perfeito!

 

 

Para quem gostou, e quer conhecer mais dos projetos musicais, siga o Paulinho Dias no Facebook, no site oficial e no palco mp3.

 

Até a próxima leitores!

Conheça Chloe x Halle, as meninas protegidas de Beyoncé

As irmãs Chloe (17) e Halle Bailey (16) nascidas em Atlanta, começaram a cantar desde os 2 e 3 anos de idade e possuem vozes poderosas de arrepiar qualquer um.

12970431_1155355754488699_518830007_o

Elas começaram um canal no YouTube a 8 anos, em 2008, onde postavam seus covers de Whitney Houston, Adele, Katy Perry, Nina Simone e entre outros artistas. Pelos vídeos já podíamos ver a desenvoltura, talento e presença que as garotas tinham.

Mas foi em 2013, quando cantaram a música Pretty Hurts da Beyoncé, no qual atingiu mais 52 milhões de visualizações,  que despertou todos para o vozeirão das garotas.

O sucesso foi tanto que chamou a atenção da própria Beyoncé, que ao ficar encantada com o talento  delas, convidou Chloe e Halle para assinar com sua gravadora, a Parkwood Entertainment.

Recentemente a dupla, agora com o nome artístico de Chloe x Halle, se apresentaram para a Primeira Dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, no evento  South by Southwest (SXSW), cantando a música  “This is for My Girls” junto com Missy Elliot, Zendaya e Kelly Clarkson.

No último dia 6, as meninas lançaram seu primeiro single “Drop” com muitas influências da música folk. O clipe  foi gravado na Califórnia no mesmo rancho onde Quentin Tarantino gravou o filme “Django Livre” e podemos vê-las com os cabelos trançados e dançando.

Curtam a música, vocês não vão se arrepender.

 

 

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

%d blogueiros gostam disto:
Aguarde...

ASSINE A NEWS

Digite seu endereço de e-mail e seja a primeira a saber quando tiver alguma novidade por aqui. ;)
PageLines