Ei Menina, nem ligue para isso não!
Ninguém importa nesse mundo mais do que você!
E eu estou falando sério!
Deixe que falem, que digam, deixa para lá, já diria Jair Rodrigues.
Essa vida tem tanto para você fazer, tem tanto para ver e aproveitar.
Deixe de lado todas essas bobeiras, esses medos impostos na sua cabeça, você é muito mais, você não precisa disso!
Te prometo eles não vão fazer falta, siga seu próprio nariz, você é dona dele.
Ah! Quer que eu te conte uma outra coisa?
Você é dona de você! Só você garota! Você é problema e solução sua, de mais ninguém. Outra coisa, tu és completa, de verdade, esquece essa história de metade da laranja, você é inteira garota.
Tudo que tem aí é teu, ninguém pode te tirar isso. Ninguém há de te obrigar a nada.

E daí? Me diga, e daí?
E daí, se vão te chamar de muitas coisas ruins!
E daí, se vão te dizer que tu não serve para isso, ou para aquilo.
Menina você acha mesmo que vale a pena?
Vale a pena mudar  por essa gente tão pequena?
Pega o que é teu e vai, vai que o mundo é teu e ninguém há de provar o contrário, a não ser você mesma.
Se veste para guerra, se pinta, ou se limpa, faz o que quiser.
Enfeitiça o mundo com o que tens, com o queres.
E conselhos que prendem? Dispense!
Nem pense, nem queira!
“Nem vem tirar meu riso frouxo com algum conselho que hoje eu passei batom vermelho”
Passei batom vermelho, pintei meus olhos, vesti minha armadura, isso aí não pega mais!

Sinto muito sobre essas posturas tão antiquadas, mas meio termo não me satisfaz.
Sou assim mesmo, do jeito que sou, do jeito que quero.
E eu vou, vou do jeito que der, do jeito que for!
Um dia me disseram que eu não podia ir como estava, sabe eu posso sim, eu vou sim!

Menina, não deixem levarem teu riso, que tirem seu juízo, mas tem riso não.
Lembra que tu és o que quiser, tu vais onde quer, tu vives como te satisfaz.
Porque não, porque sim? Porque te disseram! Não, não creias!
Quem sou eu, quem sou eu para te dizer isso?
Eu sou você, eu sou eu, eu sou aquela que um dia leu, no outro escreveu, em outro sofreu e que está aqui.
Não, jamais vou dizer que somos iguais, somos únicas. somos sobreviventes.
Somos problemas nosso, não valemos quanto dizem, quanto falam, nem 1 nem 2, nem 100 nem mil.
Ninguém vai mudar isso, mas se não formos parceiras, quem irá de ser?
Menina, me escuta, não sou melhor do que ninguém, nem que eles, nem que seres.
Mas eu queria dizer que também senti, sinto, vivi e vivo, tudo isso.
Vem cá vamos lá, vai lá.
Sabe aquele lugar para mudar o mundo? É aqui, é agora!
É quando eu, e você quisermos.
Só vai passar o que a gente quiser, o que a gente deixar.