Autor: Bruna Togni (Página 1 de 2)

Alfaiataria, peças retros e as tendências da Semana de Moda de Londres

A semana de moda de Londes acabou na última segunda – feira e o GG não podia deixar te contar para vocês, um pouco sobre as tendências das passarelas inglesas para a Primavera/Verão 2017.
Os desfiles londrinos se inspiram no estilo retrô e trouxeram de volta tendências dos anos 70 e 80 para as passarelas. As peças buscaram inspiração na geometria, nos uniformes britânicos e nos anos 1980.

FOTO : MÁRCIO MADEIRA/ZEPPELIN

FOTO : MÁRCIO MADEIRA/ZEPPELIN

As peças clássicas de alfaiataria também apareceram com uma nova roupagem nessa edição. A estilista brasileira, Barbara Casasola, usou e abusou de itens mais soltos e confortáveis. As peças variavam nos tons de branco, bege. As silhuetas são retas, em vestidos decotados, shorts, blazers e muito decote ombro a ombro.
Já a outra brasileira “desfilando” em Londres, Simone Rocha trouxe as suas peças uma cara imperial, suas camisas apresentavam mangas infladas, golas elaboradas e detalhes ao melhor estilo maximalista.

Mas Londres, teve muito mais que alfaiataria e peças retros, a Semana de Moda teve “POLÊMICA”, isso mesmo as passarelas da terra inglesa, receber uma peça muito inusitada e até rejeitada por muitos brasileiros. O Crocs.

crocs

Os criticados sapatinhos da marca “crocs” são possivelmente os mais polêmicos dos últimos tempos, sua aparência é considerada inadequada por muitos até para o dia a dia. Mas não para o estilista Christopher Kane. Para o desfile, as Crocs ganharam pintura marmorizada, além de aplicações de pedras como sodalita e malaquita. E por mais polêmica que os sapatos causaram, eles foram a sensação do desfile do estilista.

Próxima parada: Milão, confira o Line up da Semana de Moda Italiana

Oi  gente, começou uma das semanas de moda mais importantes e influentes de todo o mundo, a semana de moda de Milão. Ontem, 21 de setembro, já tivemos o primeiro dia de desfiles e o GG vai contar um pouco das tendências para a Primeira/Verão 2017 desse primeiro dia de desfiles, mas confiram o Line – UP dos próximos dias dessa semana que promete ser de arrasar.

 

Confira toda a programação dos desfiles:

E para assistir ao vivo a tudo que os melhores estilistas vão apresentar você pode acessar ao Site da Lilian Pacce pelo : http://www.lilianpacce.com.br/

22/09 – 5ª feira

4h30 Max Mara
5h Angelo Marani
5h30 Genny
6h30 Luisa Beccaria
7h30 Fendi
8h15 Ports 1961
9h Anteprima
10h Emilio Pucci
11h Les Copains
12h Cristiano Burani
13h Prada
13h Daniela Gregis
14h Byblos Milano
15h Moschino
15h30 Daizy Sheley

23/03 – 6ª feira

5h30 Diesel Black Gold
5h30 Giorgio Armani
6h30 Uma Wang
6h30 Giorgio Armani
7h30 Sportmax
8h15 Krizia
9h Etro
10h Giamba
11h Marco De Vicenzo
12h Tod’s
13h Versace
14h Aigner
15h Elisabetta Franchi
15h30 Atrushi Nakashima
15h30 Mario Dice

24/09 – sábado

4h30 Bottega Veneta
5h30 Vivetta
6h30 Antonio Marras
7h30 Blumarine
8h15 Simonetta Ravizza
9h Ermanno Scervino
10h Jil Sander
11h Cividini
12h Gabriele Colangelo
13h Aquilano.Rimondi
14h Philosophy di Lorenzo Serafini
15h Leitmov
15h30 Au Jour Le Jour

25/09 – domingo

4h30 Alberto Zambelli
4h30 Marni
6h15 Richmond
6h15 Giada
7h Laura Biagiotti
7h45 Stella Jean
8h45 Maurizio Pecoraro
9h Dolce & Gabbana
10h MSGM
11h Salvatore Ferragamo
12h Trussardi
13h Arthur Armesser
14h Missoni
15 DSquared2

26/09 – 2ª feira

4h30 Lucio Vanotti
5h30 Ricostru
6h30 Mila Schön
7h30 San Andres Milano
8h30 Piccione.Piccione

SER ME – NI – NA

“Por muitas Michelles, Marias, Larissas, Brunas, Fernandas que todos os dias são ensinadas sobre o que devem ou não fazer por medo do que pode acontecer. Por todos os Joãos, Marcelos e Claudios, que crescem pensando que delas pode fazer o que quer”

fear-1131143_1280

Certa vez, uma criança andava alegremente de mão dadas com um adulto pelas ruas.

Uma vez mudaram de calçada.

Certa vez desviaram o seu caminho.

Uma vez já era noite e ficaram com medo de andar.

Certa vez trocaram de roupa para poder caminhar.

Os anos passaram e cresceu.

Os anos passaram e o corpo da criança mudou!

Certa vez olharam seu corpo sem pudor.

Uma vez disseram que não era roupa para se por.

Mais uma vez teve medo de andar só.

Mais uma vez trocou de calçada para não incomodar – se ao andar.

Certa vez passou e não foi o passarinho que assobiou.

Uma vez não foi para o trânsito que a buzina tocou.

Mais uma vez o caminho desviou.

Uma vez disseram que aquele não era lugar para ir.

Outra vez de roupa mudou.

Uma vez passaram lhe e mão sem permissão.

Certa vez não entenderam o significado de NÃO.

Uma vez beijaram sem permissão.

Outra vez lhe disseram não deveria ir.

Mais uma vez andavas pelas ruas.

Outra vez teve medo de caminhar.

Uma vez alguém andava atrás.

Dessa vez não era assalto.

Certa vez conduziram sem autorização.

Certa vez abusaram sem direito a reclamação.

Mais uma vez falaram que tinhas bebido.

Mais uma vez falaram que se estivesse em casa não teria acontecido.

Outra vez disseram que foi quem procurou

Outra vez disseram que tinhas culpa.

Mais uma vez disseram que faltou noção.

Mais uma vez disseram que gostou.

Outra vez te apedrejaram.

Mais uma vez, mais outra vez, mais outra vez e um infinidade de vezes te mataram…

Mais uma vez tinhas a culpa

Mais uma vez era melhor não falar.

Mas por quê? PORQUE TUDO SEMPRE FOI ASSIM?

– Eu não te contei quem era a criança!

“Certa vez, uma menina andava alegremente de mãos dadas com a sua Mãe pelas ruas.”

E foi assim ela aprendeu que ser menina certa vezes, outras vezes, mais outras vezes não seria fácil e foi assim que ser mulher foi o fardo que a vida lhe deu.

Leia a Bula

Calma, não pira!

Não pira, porque ela vai te enlouquecer.

Ela é maluca, não faz sentido algum, se liga pula fora, se não você vai sofrer.
Ela é bipolar, não tem lógica, e não é um livro fácil de ler.

Ah cara você não tem ideia da onde está se metendo!
Ela não dessas “complicadas e perfeitinha” sinto em te avisar amigo, ela é um furação.
Cada dia parece um terremoto, cada vez um abalo sísmico, você não tem ideia, você não tem noção.

Amigo essa história não é daquelas que você lê nas horas vagas, que lê sentado no ônibus.
Você vai se perder nesses capítulos, te juro, jamais vai entender.
É contra indicado tentar entender o que acontece com ela, é melhor prevenir nem tente.
Ela vive contente, vive sorrindo, mas você chorando, às vezes mentindo.

Ela é um misto louco de todas as emoções e sensações.
Cuidado com doses é de entorpecer.
Ela vai da leveza ao stress e uma questão de segundos.

Ela é a menos sensível e a mais desapegada do mundo, mas não se engane de por um segundo ela parecer ciumenta e simplesmente um pouco grudenta, mas estranhe se isso não durar pouco mais que alguns minutos, logo ela volta ao normal e quando você se der conta, ela não que nem saber de você.

Não “morda” com as grosserias, às vezes ele não sabe muito se portar, é mocinha, é sim, mas tem um lado cavalo, que sem querer toma o seu corpo, e quando ela vê, já saiu, já falou, mas é sério, não é por mal, acredite, ou melhor não acredite em tudo não.

Ela tem medo de aproximações, paga para não sofrer, por isso afasta e assusta antes de começar, abandonar o barco é mais fácil que se afogar
Essa insensibilidade toda é armadura, mas ela tem coração.

Já assustou?

Não faz isso, pode ter certeza que esse livro vale a pena, que o filme pode ser surpreendente.
Não há precauções, nem indicações que facilitem a viagem, nem Bula que resuma, mas enfim porque não? Vai nessa, mas só mais uma dica, vai inteiro, metades não a satisfazem!

Se não desse errado…

Para você que eu tanto quis…

Ei você…. Você mesmo, você que eu tanto quis.
Quem é você de verdade? Você existe mesmo? Quem é você que eu quis tanto…
Eu que te quis tanto e você que não quis nada, parece que a gente se envolveu na hora errada do jeito errado. Ou melhor, eu te quis tanto que nem percebi que a gente nunca se envolveu, talvez tenha sido só ilusão, eu juro que tentei e fiz de tudo para que desse certo.

Mas não deu, nunca dá!

E olha que eu sou persistente, eu tenho esperanças. Mas é sempre tudo igual.
Eu estou lá, desapegada, praticando literalmente a lei do desapego. Quem nunca?
Ou melhor quem sempre, tentou resolver os problemas com uma dose de balada, umas belas tequilas, muita gente desconhecida, algumas bocas, tudo seguido de um cálice de arrependimento. Tudo que no fim não preenche em nada.

E o que acontece…. Aí aparece alguém, no meio de tudo isso, alguém que parece que vai ser diferente. Então você sente as borboletas no estômago de novo, a falta de ar, aquele friozinho, tudo selado com um sorriso bobo. Mas é claro, juramos de pés juntos que não vai ser paixão, e que não vamos nos envolver, só que do que adianta se já foi já era!

Acontece e quando a gente vê, já está agindo feito boba, já se perdeu nas atitudes. A mulher independente e decidida desceu do salto 15, colocou os pés no chão e deixou que os sentimentos a fizessem voar de novo feito uma menina.
Mas você, eu não só acreditei, realmente foi diferente! A forma com aconteceu, o enredo. O roteiro saía dos clichês da minha vida. Você não era mais um dos exemplares do sexo masculino que passavam pela história sob uma mesma ótica e objetivo, você foi diferente, você foi mais, para mim você foi único.

Porém, se a vida não fosse feita de, porém, seria tudo mais fácil. Não é mesmo? Mas ela é, feita não de um, mas de vários, o tempo todo.

E o fim. O fim é sempre igual.

Afinal se desse certo, não seria eu. Eu sou toda errada, que mesmo fazendo tudo certo, não tinha como ser diferente. Eu sou assim, minhas histórias foram assim, foi à vida que me fez assim. Desculpa se eu já estava toda quebrada, aos pedaços quando você chegou. Desculpa se eu nunca soube começar certo uma conversa, quanto uma mais uma história, muito menos de amor. Eu não sei ser certa eu sinto muito, não sou comum, nunca soube ser assim, e sinto mais, porém não quero aprender.

Talvez se eu não lembrasse de tudo que foi, de tudo que não foi, de tudo que não é, fosse mais fácil, fosse o CERTO.
Mas não foi.

E você, você que eu tanto quis. Que foi tão diferente se esvai da minha vida, feito só mais um daqueles personagens, e eu ainda sonhava com você no papel no principal mesmo depois de tudo, eu te queria lá estrelando esse filme.
Só que quando eu vi, você já tinha ido, a cicatriz estava cravada, mas com o tempo eu sei que isso não vai doer mais.
E sabe eu sei, eu tenho certeza que você foi e é diferente, mas também você não era o que tanto falou, não era e não foi ..

O certo.

Sobre Risos Frouxos, e batons vermelhos

Ei Menina, nem ligue para isso não!
Ninguém importa nesse mundo mais do que você!
E eu estou falando sério!
Deixe que falem, que digam, deixa para lá, já diria Jair Rodrigues.
Essa vida tem tanto para você fazer, tem tanto para ver e aproveitar.
Deixe de lado todas essas bobeiras, esses medos impostos na sua cabeça, você é muito mais, você não precisa disso!
Te prometo eles não vão fazer falta, siga seu próprio nariz, você é dona dele.
Ah! Quer que eu te conte uma outra coisa?
Você é dona de você! Só você garota! Você é problema e solução sua, de mais ninguém. Outra coisa, tu és completa, de verdade, esquece essa história de metade da laranja, você é inteira garota.
Tudo que tem aí é teu, ninguém pode te tirar isso. Ninguém há de te obrigar a nada.

E daí? Me diga, e daí?
E daí, se vão te chamar de muitas coisas ruins!
E daí, se vão te dizer que tu não serve para isso, ou para aquilo.
Menina você acha mesmo que vale a pena?
Vale a pena mudar  por essa gente tão pequena?
Pega o que é teu e vai, vai que o mundo é teu e ninguém há de provar o contrário, a não ser você mesma.
Se veste para guerra, se pinta, ou se limpa, faz o que quiser.
Enfeitiça o mundo com o que tens, com o queres.
E conselhos que prendem? Dispense!
Nem pense, nem queira!
“Nem vem tirar meu riso frouxo com algum conselho que hoje eu passei batom vermelho”
Passei batom vermelho, pintei meus olhos, vesti minha armadura, isso aí não pega mais!

Sinto muito sobre essas posturas tão antiquadas, mas meio termo não me satisfaz.
Sou assim mesmo, do jeito que sou, do jeito que quero.
E eu vou, vou do jeito que der, do jeito que for!
Um dia me disseram que eu não podia ir como estava, sabe eu posso sim, eu vou sim!

Menina, não deixem levarem teu riso, que tirem seu juízo, mas tem riso não.
Lembra que tu és o que quiser, tu vais onde quer, tu vives como te satisfaz.
Porque não, porque sim? Porque te disseram! Não, não creias!
Quem sou eu, quem sou eu para te dizer isso?
Eu sou você, eu sou eu, eu sou aquela que um dia leu, no outro escreveu, em outro sofreu e que está aqui.
Não, jamais vou dizer que somos iguais, somos únicas. somos sobreviventes.
Somos problemas nosso, não valemos quanto dizem, quanto falam, nem 1 nem 2, nem 100 nem mil.
Ninguém vai mudar isso, mas se não formos parceiras, quem irá de ser?
Menina, me escuta, não sou melhor do que ninguém, nem que eles, nem que seres.
Mas eu queria dizer que também senti, sinto, vivi e vivo, tudo isso.
Vem cá vamos lá, vai lá.
Sabe aquele lugar para mudar o mundo? É aqui, é agora!
É quando eu, e você quisermos.
Só vai passar o que a gente quiser, o que a gente deixar.

Querido Cupido, me deixe em paz

Crônicas daquelas que muito se fala, e pouco se ouve.

De quantas desilusões é feita uma solteira convicta?

 

Querido Cupido, senta aqui!

Nós estamos precisando conversar, isso não está dando certo!

Você deve estar percebendo, nós temos alguns probleminhas, senta aqui, por favor!

Bom cupido, pensei que fossemos amigos, que algum dia por acaso iriamos nos entender, mas você está de brincadeira, não é mesmo?

Vem cá, como é que tudo isso aconteceu, me diz você está, ou tem algum problema?

Veja bem, foram tantas, e tantas e mais outras tantas, e você não acerta. Essa flecha aí está precisando mesmo de um bom GPS. Eu vou dar umas coordenadas aqui, ou melhor, vamos pedir para alguém fazer isso, porque sinceramente, nós dois não estamos conseguindo!

E você, não teve nenhum treinamento não? Não passou pela escola de cupidos para aprender a flechar? Então, porque faz isso?

Vamos fazer um combinado, você guarda suas flechas e eu guardo o coração aqui, ninguém mexe em nada, ninguém tira as suas armas e ficamos bem, que tal?

Afinal já foram tantas histórias, tantas coisas, tantas tentativas. Fechada para balanço? Esquece Cupido, vamos deixar para lá!

Já que falamos de tantas, há quem diga, que quem tem muitas tentativas, também é piriguete!

Mas você já pensou, o que isso a causou? Querido Cupido, essas meninas sofrem, você sabe. Não que me identifique, mas quem nunca, não é?

Tentativas, desilusões, amores platônicos, paixões arrebatadoras, e mais tentativas, e dá-lhe lenços para mais desilusões.

É dessa combustão maluca, que se nasce aquela super solteira, cupido?

É de tanto chorar e sofrer que a menina vira a solteira convicta e independente?

Sabe Cupido, eu já fui e até sou um pouco dessa solteira aí, mas acho que ela não existe, o que você acha?

Vai continuar a testar?

Querido Cupido, senta aqui, vamos conversar!

Uma pena não, valeu a pena

Um mês depois tudo, eu só queria pode falar, eu só queria dizer pra você um Oi.
Eu queria te dizer que não morri que estou aqui resistindo. Persistente como sempre.
Na verdade eu queria te dizer que eu não estou só resistindo, eu estou bem melhor, eu estou vivendo, eu estou mais que respirando eu estou sentindo de novo o ar, e lembra-se daquela sensação de estar voando? Aquela sensação que eu tive quando vi você, eu estou tendo de novo, e quer saber da maior?

Sozinha, minhas borboletas estão voando, estão fazendo aquilo, estão me dando o meu sorriso, mas só por mim, por mim mesma.
Pensando bem eu queria mesmo te falar que eu esqueci, que eu já nem me lembrava mais até resolver escrever isso. E porque eu escrevo, porque tem coisas que a gente tem que registrar não é?
Anota aí, vê se não esquece menina.
Tudo passa, sempre passa!

Por isso eu quero te falar que passou que cicatrizou que doeu, mas que hoje eu já não sinto mais nada.
Na verdade eu queria mesmo é te agradecer. Será que eu posso ir aí te dar uma abraço? Como bons amigos?
Pra eu agradecer por você me provar que EU estava errada, porque você era sempre foi a pessoa errada, e o certo estaria/estará por vir.

Ah obrigada! Obrigada por me fazer perceber que eu não morro, que eu corro, mas não me dissolvo não.
Que pode até parecer impossível, mas você vai ser só um personagem no banco de histórias, recheado de outros aspirantes a atores principais, que terminaram como meros figurantes da minha peça real.

Uma pena não é? Não, não é. Valeu a pena!

Valeu por me fazer procurar no fundo da minha alma o meu amor próprio, por me lembrar de que existe um amor maior ao meu criador, e que depois dele, só eu, eu mesma. Não você…

Eu só queria te dizer que aquela ilusão foi boa, só que agora eu nem penso como seria se ela tivesse dado certo, porque hoje a realidade ecoa não me deixa mais se lembrar de você.
É com o fim desse texto meu, que eu te coloco de volta no lugar que você escolheu, na minha caixinha de aspirantes.

No seu lugar de figurante.

No caminho dos meus devaneios

Motorista, aqui sentada vem tanta coisa na minha cabeça
Eu queria ter com quem dividir, mas eu sei placas, e sei que você não pode conversar.
Eu queria que essas lágrimas parassem de cair, e que eu simplesmente parasse de pensar.

Ah motorista, já diria Clarice Falcão, se não fosse a dor, e essa mania de lembrar de tudo feito um gravador. Eu me lembro de tudo, com detalhes que são gritantes.

Não era manhã, mas cada mensagem sua, cada palavra, cada brincadeirinha, cada mentira.
Parecia tão legal, tão verdadeiro que nem parecia que eu ia tomar, que ia dar errado.

Olha motorista, não se incomode não olhe pelo retrovisor, eu não devo ser a primeira passageira que sofre de amor, nem vou ser a única nesse caminho.

Deixa eu aqui sofrendo, sozinha. Sabe eu fico aqui pensando como foi que eu pude cair nessa, logo eu? Logo eu que sou tão auto-suficiente e poderosa. Logo eu que me achava tão acima disso. Sim, eu mesma foi cair nessa conto de fadas. Mas eu não perdi o sapatinho não, perdi a noção. Quase joguei as traças a minha dignidade, e o amor próprio então? Ah, mas ele foi dar uma volta viu.

Eu sei que isso é ruim, mas eu tive esses momentos procurei em mim todos os defeitos, todas as razões para que as coisas não acontecessem, eu sei, é errado.

Não se preocupe não, eu vou achar eles pelos caminho, vou sim. E quando isso acontecer eu prometo eu o bom dia vai ser verdade.

Mas por enquanto eu fico aqui olhando pela janela e ficando louca nos meus devaneios, por enquanto eu fico aqui imaginando o que deu errado.
Não deu errado, só não deu não é?

Ok, vamos de novo.
– tudo bem?
Tudo vai melhorar!

Página 1 de 2

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

%d blogueiros gostam disto:
Aguarde...

ASSINE A NEWS

Digite seu endereço de e-mail e seja a primeira a saber quando tiver alguma novidade por aqui. ;)
PageLines