Vestindo sustentabilidade com a Terra da Garoa

Com Carolina Biaggi e a Fernanda Capellini no comando de cada traço, a Terra da Garoa é uma top marca paulistana e sustentável que só de pensar nas peças já traz um quentinho a mais no coração.
Com um design eco, fashion, urbano e atemporal que não segue calendário de moda e vai muito além do vestir, a brand é elaborada em tecidos como linho, viscose lisa e estampada, algodão, jeans da vicunha (que tem fios de garrafa PET na composição), e estamparia a base de água.
Em um bate-papo fashion e descontraído com a Carol, ela deu detallhes da confecção e de cada ponto de amor dedicado às roupas.

Sempre me importei com questões ambientais, sempre fui adepta da reciclagem e do não desperdício de água, do lixo sempre no lixo… O que me faltava era vestir, literalmente, os meus princípios

 

Carol por Carol
“Me inspiro nas coisas mais diversas possíveis! Gosto de caminhar por vários universos e geralmente não fico presa ao mundo da moda. Gosto muito de gastronomia, música, cinema e artesanato (principalmente). Coisas manuais me encantam muito, dou muito valor a esse trabalho e procuro sempre trazer isso ao meu dia, tentando enxergar as coisas de maneira mais simplificada e, assim, seguir a vida de um jeito mais leve.”
Qual a importância de criar/usar moda sustentável?
“É começamos a enxergar um pedido de socorro por uma nova consciência planetária, de nos relacionarmos com o outro e com a natureza de forma diferente, a partir da certeza de que tudo que temos é FINITO, principalmente os recursos naturais (ar limpo, água, solo).”
A alma do negócio
“A TERRA DA GAROA é um mix de inspirações. Mesclamos o ambiente urbano de São Paulo com a leveza e beleza da natureza, que está sempre presente nas estampas e na escolha de matérias primas. A mulher Terra da Garoa é decidida, super ativa, e preza acima de tudo por seus valores: por isso nossas modelagens são sempre confortáveis e praticicas, sem perder a elegância.”

Dá uma olhada nas últimas peças da marca:

SPFW nos CEUs: Conteúdo de inspiração e conhecimento a partir de hoje (24)

São Paulo Fashion Week nos CEUs em 2014 (Foto: Cesar Ogata/ Secom (01/04/2014))

São Paulo Fashion Week nos CEUs em 2014
(Foto: Cesar Ogata/ Secom (01/04/2014))

Pela oitava vez consecutiva a parceria entre a Prefeitura da Cidade de São Paulo, Secretaria Municipal de Educação e São Paulo Fashion Week leva para os Centros Educacionais Unificados (CEUs) o território criativo e cultural do maior evento de moda do hemisfério Sul. Os workshops, conversas, desfiles e oficinas passam pelos CEUs Pera Amarelo, Guarapiranga, Anhanguera, Casablanca e Jaçanã até 28 de outubro. Confira a programação:
24/10 CEU PERA MARMELO
• WORKSHOP/OFICINA DE BELEZA – HORARIO 14:00
Viva Beleza Viva por Natura

25/10 CEU GUARAPIRANGA
• WORKSHOP/ENCONTRO/ LABORATÓRIO com o fotógrafo RODRIGO BUENO – HORÁRIO 10:00
• WORKSHOP/OFICINA DE BELEZA – HORÁRIO 15:00
Viva Beleza Viva por Natura

26/10 CEU ANHANGUERA
• LINO + MIRO – ENCONTRO/CONVERSA com o fotógrafo MIRO e o estilista LINO VILLAVENTURA – HORÁRIO 15:00
• WORKSHOP/OFICINA DE BELEZA – HORÁRIO 10:00
Viva Beleza Viva por Natura

27/10 CEU CASABLANCA
• DESFILE LAB – HORÁRIO 10:00
• ENCONTRO/CONVERSA COM O ESTILISTA JOÃO PIMENTA E OS ARTISTAS E EMPRESÁRIOS EMICIDA E EVANDRO FIÓTI – TRAJETÓRIAS E INSPIRAÇÕES. – HORÁRIO 10:30
• WORKSHOP/OFICINA DE BELEZA CEU CASABLANCA – HORÁRIO 14:00
Viva Beleza Viva por Natura

28/10 CEU JAÇANÃ
• ENCONTRO/CONVERSA com o artista KLEBER MATHEUS- HORÁRIO 10:00
• WORKSHOP/OFICINA DE BELEZA CEU JAÇANÃ – HORÁRIO 13:00
Viva Beleza Viva por Natura

SPFWTRANS42: Confira a programação!

Começa amanhã (23) a 42ª edição do SPFWTRANS, no parque Ibirapuera. Com cenografia pop assinada por Kleber Matheus, o ambiente tem a luz como elemento principal e recebe estreias e participações especiais. A passarela desta edição se abre com Animale, às 17h. O evento acontece até 28 de outubro.

11

Desfile da Ellus no SPFW 41ª edição, em abril passado (Foto: ©Edu Lopes / Agência Fotosite)

A edição marca a estreia da LAB, dos irmãos e artistas Emicida e Evandro Fiotti, com direção criativa do estilista João Pimenta. E ainda a participação especial da Memo E+, em parceria com a Lolitta; da Just Kids, nova marca das estilistas Juliana Jabour e Karen Fuchs, e do Experimento Nohda projeto colaborativo que reúne as marcas Pat Bo, Apartamento 03 e Lucas Magalhaes.

Transformação, transgressão e transição marcam o SPFW, a primeira semana de moda do mundo a adotar o conceito see now buy now, que já vem sendo incorporado de forma ainda isolada por algumas marcas internacionais.

Confira a programação:

23.10 DOMINGO
17h Animale

24.10 SEGUNDA
10h30 A La Garçonne
13h30 Reinaldo Lourenço
17h30 Patricia Viera
20h30 Lab

25.10 TERÇA
10h Fernanda Yamamoto
11h30 Lolitta
14h30 Experimento Nohda
17h30 Abrand
19h30 Lilly Sarti

26.10 QUARTA
10h Iódice
12h30 Água de Coco
14h30 Ronaldo Fraga
17h Vitorino Campos
18h30 Amir Slama
20h Osklen

27.10 QUINTA
12h20 Gloria Coelho
13h30 Vix
17h Just Kids
18h Samuel Cirnansck
19h30 Ratier
20h30 Helô Rocha

28.10 SEXTA
13h Memo
16h Cotton Project
19h João Pimenta
20h30 Coca Cola Jeans

Siga SPFW nas redes sociais para mais informações e novidades:
facebook.com/SPFW
instagram.com/SPFW
twitter.com/SPFW

 

Pinacoteca de São Paulo inaugura exposição sobre arte moderna

A novidade “Galeria José e Paulina Nemirovsky – Arte moderna” que apresenta mais de 100 peças a partir deste sábado (22) às 11h,  faz da Pina o único museu de São Paulo com obras que contam toda a História da Arte no Brasil. A exposição fica em cartaz até agosto de 2019.

As 700 obras, distribuídas em 2mil metros quadrados, contam a História da Arte no Brasil do período colonial até os anos 1970. “Essa é uma exposição única e especial, que percorre grande parte do cenário histórico-cultural brasileiro do século XX. ”, disse a curadora Valéria Piccoli.

Antropofagia, 1929, óleo sobre tela, Tarsila do Amaral. A obra compõe o acervo na Pinacoteca(Foto: Reprodução Warburg)

Antropofagia, 1929, óleo sobre tela, Tarsila do Amaral. A obra compõe o acervo na Pinacoteca(Foto: Reprodução Warburg)

A mostra é uma reorganização e ampliação da mostra sobre modernismo, que ficou em cartaz por quatro anos na Estação Pinacoteca e agora ocuparão cinco salas no primeiro andar do edifício da Luz e faz conexão entre a exposição do segundo andar “Arte no Brasil: Uma história na Pinacoteca de São Paulo” e “Vanguarda brasileira doa anos 1960 – Coleção Roger Wright”, aberta recentemente.

Inaugurada no primeiro andar, tem como foco importantes momentos do período moderno no Brasil: as inovações formais do primeiro Modernismo (de Tarsila e Lasar Segall), a preocupação com questões sociais que marca a obra de Portinari e Di Cavalcanti, o interesse pelos artistas autodidatas ou treinados fora das academias de arte (como Volpi, Pancetti e José Antonio da Silva), a emergência da abstração lírica e geométrica. A exposição também reúne obras do período Concreto e Neoconcreto, finalizando com uma seleção de peças ligadas às correntes mais líricas do abstracionismo.

Antropofagia (1929) de Tarsila do Amaral, Homem andando (entre 1936 e 1937) de Ernesto de Fiori e Fachada (1955) de Volpi, são algumas das obras expostas. José e Paulina Nemirovsky são os colecionadores que se associaram à instituição pública com o intuito de dar maior visibilidade a este patrimônio artístico, e nomeiam a galeria.

Detalhes:

Praça da Luz, 02, 1º andar da Pinacoteca.

De quarta à segunda-feira, das 10 às 17h30 (permanência até às 18h).

Ingresso: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia).

Crianças com menos de 10 e adultos com mais de 60 anos não pagam.

Aos sábados a entrada é gratuita para todos os visitantes.
Mais informações.:  (11) 3324-1000

Calvin Klein Jeans recebe grafiteiro Zezão para tarde de customização em São Paulo

A Calvin Klein Jeans, em parceria com o grafiteiro Zezão, recebe o artista para dois dias de customização onde ele assina suas obras em peças da marca adquiridas por clientes. O evento acontece na loja House of Calvin Klein do Morumbi Shopping (22/10), e na loja Calvin Klein Jeans do Shopping Iguatemi (29/10), das 15h às 19h.

Calvin Klein Jeans arma tarde de customização de roupas com grafiteiro Zezão (Divulgação Calvin Klein)

Calvin Klein Jeans arma tarde de customização de roupas com grafiteiro Zezão
(Divulgação Calvin Klein)

Inspirado em Jean-Michel Basquiat, o artista plástico passou a percorrer novos caminhos com sua arte, como paredes de canais de esgoto e prédios abandonados. Zezão ganhou fama por colorir subterrâneos da cidade de São Paulo e hoje também compõe sua obra com outros materiais como espelhos e bandejas.

(Foto: zezaoarts.com.br)

(Foto: zezaoarts.com.br)

Esta união entre moda e arte também estará presente em mais de 80 lojas espalhadas pelo Brasil durante os meses de outubro e novembro. As lojas serão ambientadas com tambores grafitados por Zezão.

 

 

 

 

Brasileiras são as que mais esquecem de tomar pílula anticoncepcional, aponta pesquisa

De acordo com o estudo, as brasileiras são as que mais esquecem de tomar a pílula anticoncepcional. Enquanto a média mundial ficou em torno de 39%, no Brasil, 58% delas apontaram esquecimento pelo menos uma vez no último mês, seguidas das norte-americanas (54%) e das irlandesas e belgas (ambas 42%). Considerando o último ano, a taxa de esquecimento sobe para 89% entre as brasileiras.

Multitarefa é um adjetivo que define bem os millennials – geração composta por jovens adultos na faixa entre os 20 e 35 anos. A capacidade de fazer várias coisas ao mesmo tempo e ter conhecimento sobre os mais variados assuntos faz com que esses jovens estejam sempre antenados e por dentro de tudo o que acontece. No entanto, tanta informação somada à uma quantidade ilimitada de tarefas está fazendo com que esses jovens se estressem cada vez mais. No caso das mulheres, o estresse tem sido causa de esquecimento frequente de atividades comuns do dia a dia.

No Brasil, mais de 16 milhões de mulheres se encontram na faixa entre 20 e 29 anos, o que representa 16,2% da população total, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2016). A pesquisa apontou que boa parte delas esquece regularmente de fazer atividades cotidianas. Entre as ações mais esquecidas estão tomar a pílula anticoncepcional (58%), remover a maquiagem antes de dormir (20%) e levar consigo chaves, carteira e celular (10%). Elas atribuem isso a uma tendência em ser esquecida (39%), ter alguma preocupação (30%) e mudanças na rotina (13%).  É o que aponta a pesquisa global “Millennials e Contracepção – Por que nos esquecemos?”, realizada pela Bayer em vários países e que contou, no Brasil, com apoio do Departamento de Ginecologia da Escola Paulista de Medicina da UNIFESP. O estudo teve como objetivo chamar atenção para o Dia Mundial da Prevenção da Gravidez Não Planejado (26 de setembro), celebrado essa semana.

O estudo explorou como a memória das mulheres millennials pode ser impactada pelo estresse, levando em consideração as mudanças no estilo de vida delas em um curto espaço de tempo e a influência disso em suas atividades e hábitos diários. A pesquisa foi conduzida em nove países (Alemanha, Bélgica, Brasil, Espanha, Estados Unidos, França, Irlanda, Itália e México) com mulheres entre 21 e 29 anos, que fazem uso de pílulas anticoncepcionais.

Brasileiras – Por que elas esquecem?

Em relação à pílula, os principais motivos apontados para o esquecimento são não tomá-la todo dia no mesmo horário (32%), não deixá-la em lugar visível (21%), estresse no trabalho ou nos estudos (20%) e agenda cheia (17%).

Outro aspecto sensível é que seis em cada dez brasileiras (58%) não tomam a pílula no mesmo horário todos os dias. Quase 40% delas não considera necessário esse cuidado. “A pesquisa mostrou que mulheres que não têm o costume de tomar a pílula todos os dias no mesmo horário tendem a esquecê-la. Ou seja, manter uma rotina contribui para o não esquecimento. Além disso, algumas pílulas, por terem baixa dosagem hormonal, devem ser ministradas sempre no mesmo horário para garantir a eficácia. De acordo com o Estudo Coraliance, realizado na França, as pílulas, quando tomadas diariamente e sem pausa, ajudam a melhorar a adesão por não haver quebra na rotina das mulheres. É importante lembrar que a continuidade do uso também traz benefícios adicionais como a redução do sangramento, a melhora da acne e dos sintomas da TPM”, afirma Dr. Afonso Nazário, ginecologista e Professor Livre-Docente do Departamento de Ginecologia da UNIFESP.

Estresse, agenda atribulada, mudanças. Segundo as participantes da pesquisa, essa rotina influencia o esquecimento do uso correto do contraceptivo – 64% das brasileiras são mais propensas a esquecer a pílula quando estão preocupadas. Esse fato gera um outro comportamento também apontado pela pesquisa: dessas mulheres, 74% já consideraram métodos contraceptivos que não precisam ser tomados diariamente.

Desde 2014, a Academia Americana de Pediatria juntamente com o Colégio Americano de Ginecologia e Obstetrícia recomenda o uso de métodos contraceptivos reversíveis de longa duração para todas as mulheres. O objetivo vai além de evitar a gravidez não planejada, mas também adentra aos impactos sociais, econômicos e na saúde pública que uma gestação não planejada pode acarretar.

“Uma gravidez não planejada entre adolescentes tem consequências negativas para as jovens, suas famílias e também para a sociedade. O planejamento reprodutivo voluntário é um dos maiores avanços do último século em saúde pública e um dos investimentos mais custo-efetivos que um país pode realizar para o bem das próximas gerações”, ressalta Marta Finotti, ginecologista, membro da Comissão Nacional Especializada em Anticoncepção da FEBRASGO.

No Brasil, o contraceptivo mais utilizado depois da pílula anticoncepcional é o dispositivo intrauterino, mais conhecido como DIU, de acordo com dados da Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher (PNDS). O DIU oferece a durabilidade de até 5 anos no caso do hormonal e de 10 anos no de cobre, e ambos possuem índice baixo de falha – entre 0,2% e 0,8%.

Os métodos contraceptivos reversíveis de longa duração são recomendados como opções de primeira linha para evitar a gravidez não planejada na adolescência, já que oferecem alta segurança e eficácia contraceptiva, não dependem da disciplina da mulher e podem ser interrompidos a qualquer momento, caso haja o desejo de ser mãe.

“Um ponto fundamental a ser ressaltado é que a escolha do método contraceptivo, seja ele qual for, deve ser feita com a orientação do ginecologista, para avaliar o método que melhor se adequa ao dia a dia e as necessidades da paciente, respeitando sempre as contraindicações e as possíveis restrições ao uso”, conclui a Dra. Finotti.

Contracepção X Prevenção

Um dado preocupante da pesquisa aponta que, em todos os países, as mulheres abandonam o uso do preservativo (camisinha) quando utilizam a pílula como método anticoncepcional e essa tendência aumenta com a idade. No início da segunda década de vida, apenas 17% delas combina os dois métodos, já no final, esse percentual cai ainda mais, alcançando 11%.

As brasileiras estão entre as que menos utilizam o preservativo quando adotam a pílula, apenas 6% delas combinam os métodos. Ficam atrás somente das irlandesas (5%). As americanas são as que mais combinam contracepção com prevenção; 29% delas usam preservativo mesmo tomando anticoncepcional.

Levando em consideração que a maior concentração dos casos de AIDS no Brasil está na faixa entre 25 e 39 anos para ambos os sexos (53,6% entre eles e 49,8% entre elas), segundo o Ministério da Saúde, esse dado da pesquisa mostra a sensibilidade do tema e a necessidade de uma maior conscientização para a prevenção de DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis).

Swarovski anuncia parceria com Lanvin

A Swarovski reuniu convidados especiais em Paris na última quarta-feira (28) para anunciar as novas parcerias de Primavera/Verão 2017 para a Atelier Swatovski, linha premium da marca. O grande destaque da temporada é a collab com a maison francesa Lanvin.
O anúncio foi feito durante um almoço no Ritz Paris, onde Karlie Kloss, rosto da marca nas últimas campanhas, recebeu alguns grandes nomes da moda internacional. Dentre os convidados estavam Maye Musk, Margaret Zhang e Giovanna Battaglia.

Karlie Kloss (Foto: Divulgação)

Karlie Kloss (Foto: Divulgação)

Nadja Swarovski, membro do Conselho Executivo da Swarovski comentou: “É um verdadeiro prazer revelar as incríveis novidades que preparamos para as coleções de Primavera/Verão 2017 da linha Atelier Swarovski. Se observarmos desde as linhas com Lanvin e Fiona Kotur, até a evolução da linda coleção pensada em parceria com Rosie Assoulin, vemos que essa temporada traz um inspirador mix de formas e estilos, bem como a apresentação de materiais inovadores”.
As novidades desembarcam no Brasil no primeiro semestre de 2017.

Artista indígena Rosi Araújo em entrevista sobre vida, arte, ativismo e resistência

Direto do sertão nordestino, Rosi Araújo se expressa através das artes visuais, artes plásticas, desenhos, fotos, vídeos, e produção literária. Suas origens no povo Kariri influenciaram seu trabalho com instrumentos de ativismo e resistência.

Nas minhas obras, sempre tenho como foco o respeito à vida. Cultivo em meus traços algo mais orgânico para transmitir o sentimento de pertencimento à terra – Rosi Araújo

A Biblioteca Oscar Niemyer, Fundição Progresso, Ribeirão Pires, Cotia, Jundiaí e Embu das Artes já receberam a artista, que em julho de 2017 decola para um Congresso Internacional sobre povos indígenas em Belém do Pará. Entre seus projetos, também está ampliar sua coleção Sertão Encantado, afirmando e divulgando suas origens indígenas e o meio ambiente da região do sertão brasileiro.

12240403_436121823238333_5515127685897437410_o1-1024x678

Rosi Araújo (Foto: Reprodução)

[GAROTA DA CIDADE] Quando decidiu que seria artista?
[ROSI ARAÚJO] Venho desenvolvendo arte há muitos anos e conquistado espaço e oportunidades aos poucos, num ritmo mais tranquilo. A arte é quem me orienta e conduz, ela tem vida própria e eu apenas a sinto e libero por meios das linhas, traços, cores, curvas , poemas e versos. Não foi uma decisão minha, mas sempre estive no mundo das artes de maneira sutil.
[GAROTA DA CIDADE] De onde surgiu a ideia de expor suas obras?
[ROSI ARAÚJO] Me surpreendi quando os amigos e familiares, me disseram que eu deveria expor. Foi com lápis grafite que me interessei e entendi do que meus amigos estavam falando. Depois da primeira exposição profissionalmente no Embu das Artes, nunca mais parei.
Antes eu realizava exposições com textos, poemas, e artefatos indígenas, como colares, cocar entre outros, junto com outros indígenas.
[GAROTA DA CIDADE] Qual foi a reação da sua família?
[ROSI ARAÚJO] Minha família é meu maior apoio, sempre me companham e incentivam, é como um balsamo alimentador e inspirador ter este carinho e apoio. Devo muito a eles, em especial à minha mãe.

Exposição de Rosi Araújo "Natureza Indígena - Grafismos" nas Olimpíadas Rio 2016

Exposição de Rosi Araújo “Natureza Indígena – Grafismos” nas Olimpíadas Rio 2016

[GAROTA DA CIDADE] Qual o significado das suas obras pra você, e o que quer transmitir com elas?
[ROSI ARAÚJO] Nas minhas obras, sempre tenho como foco o respeito à vida. Cultivo em meus traços algo mais orgânico para transmitir o sentimento de pertencimento à terra, com forte influência da cultura indígena nativa brasileira. Os elementos como sol, terra, água e ar, sempre podem ser percebidos, principalmente na minha coleção “Sertão Encantado”.
A exposição “Natureza indígena”, que expus nas Olimpíadas 2016 foi feita exclusivamente para este momento. Uni vários traços e expressões de povos diferentes, foi um desafio. Em uma mesma tela podemos notar e sentir vários ritos e energias da natureza traduzida pelas artes do grafismo indígena, que é sagrado, pois compõe uma linguagem entre o homem e a natureza, liga as diversidades de vidas existentes ao sagrado e o espiritual. Podemos dizer que é como uma linguagem que transmite sentimento, emoções e valores que tem na cultura indígena.
[GAROTA DA CIDADE] Qual é seu lugar favorito para ver e apreciar arte?
[ROSI ARAÚJO] Adoro visitar museus e exposições e o Embu das Artes é sem dúvida, depois das aldeias, o meu favorito. Lá você vê os artistas ao vivo, você respira arte e pode conversar com o artista e ver como são mortais especiais de grande alma, sentir os cuidados e técnicas que eles dedicam as suas obras. Isso é arte de verdade.
[GAROTA DA CIDADE] Sobre seus livros “Receita das Palavras” e “Unir versos”. De onde veio a inspiração pra eles?
[ROSI ARAÚJO] Meus livros Receita das palavras e Unir versos, vieram antes dos quadros. Primeiro eu escrevia muito, nem sabia que se chamavam poemas, mas sim, combinações de palavras com energia da natureza.
“Unir versos” é uma coleção de poemas que escrevi durante o ano de 2015. Comecei publicando no Facebook e adorei porque meus amigos e familiares sempre liam e pediam para copiar. Foi quando eu tive a ideia de publicar o livro.
O Receita das Palavras, é uma brincadeira que mistura narrativa de uma culinária com a alfabetização e a gramática, ficou lindo. Participei de um concurso na ECA USP e fui selecionada, a publicação saiu em 2015. Foi um grande desafio que me incentivou muito, percebi que estava no caminho certo.
[GAROTA DA CIDADE] Tem projetos futuros para a carreira?
[ROSI ARAÚJO] Pretendo dar aula por um período na aldeia do meu povo Kariri, no sertão do Ceará. Estou conversando e organizando um projeto com as professoras da Escola indígena. Quero multiplicar e ensinar um pouco do que aprendi sobre o mundo das artes. Será uma espécie de troca de técnicas, já que na aldeia todos os indígenas tem seus dons artísticos da cultura e tradição ancestral.
Também quero estudar e conhecer mais técnicas artísticas, unir ao poema, videos e fotos, entre tantas outras artes que amo muito. Ficarei no RJ em uma turnê até o final de 2016, depois sigo para Belém e Ceará. Espero fazer uma exposição na escola indígena dos Kariri.
E aguardem o livro “Unir versos II”!

Alfaiataria, peças retros e as tendências da Semana de Moda de Londres

A semana de moda de Londes acabou na última segunda – feira e o GG não podia deixar te contar para vocês, um pouco sobre as tendências das passarelas inglesas para a Primavera/Verão 2017.
Os desfiles londrinos se inspiram no estilo retrô e trouxeram de volta tendências dos anos 70 e 80 para as passarelas. As peças buscaram inspiração na geometria, nos uniformes britânicos e nos anos 1980.

FOTO : MÁRCIO MADEIRA/ZEPPELIN

FOTO : MÁRCIO MADEIRA/ZEPPELIN

As peças clássicas de alfaiataria também apareceram com uma nova roupagem nessa edição. A estilista brasileira, Barbara Casasola, usou e abusou de itens mais soltos e confortáveis. As peças variavam nos tons de branco, bege. As silhuetas são retas, em vestidos decotados, shorts, blazers e muito decote ombro a ombro.
Já a outra brasileira “desfilando” em Londres, Simone Rocha trouxe as suas peças uma cara imperial, suas camisas apresentavam mangas infladas, golas elaboradas e detalhes ao melhor estilo maximalista.

Mas Londres, teve muito mais que alfaiataria e peças retros, a Semana de Moda teve “POLÊMICA”, isso mesmo as passarelas da terra inglesa, receber uma peça muito inusitada e até rejeitada por muitos brasileiros. O Crocs.

crocs

Os criticados sapatinhos da marca “crocs” são possivelmente os mais polêmicos dos últimos tempos, sua aparência é considerada inadequada por muitos até para o dia a dia. Mas não para o estilista Christopher Kane. Para o desfile, as Crocs ganharam pintura marmorizada, além de aplicações de pedras como sodalita e malaquita. E por mais polêmica que os sapatos causaram, eles foram a sensação do desfile do estilista.

Página 1 de 12

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

%d blogueiros gostam disto:
Aguarde...

ASSINE A NEWS

Digite seu endereço de e-mail e seja a primeira a saber quando tiver alguma novidade por aqui. ;)
PageLines